FAO.org

Home > About FAO > Who we are > Diretor-Geral > Notícias > Notícia artigo

Diretor-Geral da FAO ressalta conexão entre paz e segurança alimentar

“O compromisso de Angola com a segurança alimentar ultrapassa fronteiras”, afirma Graziano da Silva na abertura de exposição angolana
©FAO/Annibale Greco.
Graziano da Silva com o Representante Permanente de Angola junto à FAO, Embaixador Florêncio Mariano da Conceição e Almeida.

Roma, 11 de abril de 2014 – O Diretor-Geral da FAO, José Graziano da Silva, ressaltou a conexão entre paz e a segurança alimentar durante a abertura da exposição “Arte Angolana Contemporânea”, na sede da FAO, em Roma. 

“Esta exibição de arte é um símbolo do cenário de paz em Angola, e uma oportunidade para se enfatizar a importância da paz e a ausência de conflito para se obter a segurança alimentar”, disse Graziano da Silva, ao mencionar a celebração do 12o aniversário da reconciliação nacional de paz do país africano.

Ele assinalou que, em pouco mais de uma década, Angola deu passos importantes para se reconstruir, assumindo papel essencial no auxílio a outros países da região, além de se mostrar activo na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

“O compromisso de Angola com a segurança alimentar vai mais longe, além de suas fronteiras”, disse.

“O Presidente Eduardo dos Santos se comprometeu a erradicar a fome em Angola. Com um montante que chega a US$ 10 milhões, Angola é um dos maiores doadores do Fundo Fiduciário de Solidariedade para a África”, acrescentou o DG-FAO em referência a sua visita àquele país no ano passado.

“Hoje em dia, Angola compartilha conhecimento técnico e provê recursos financeiros a outros países da região”, afirmou.

Angola se tornou um dos países que atingiram, antes do prazo estipulado, o primeiro dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, reduzindo pela metade a proporção de pessoas desnutridas.

“Estas obras de arte têm por objetivo representar a nova dinâmica da arte angolana nos tempos de paz, dando-nos voz no universo da globalização”, afirmou o Representante Permanente de Angola junto à FAO, Embaixador Florêncio Mariano da Conceição e Almeida em suas considerações durante a cerimônia de abertura.

“Em nome do meu governo – ele acrescentou -  gostaria de agradecer à FAO por sediar esta exibição de arte”.

A mostra apresenta algumas das obras expostas na 55a Exibição Anual de Arte de Veneza, na qual Angola foi agraciada com o “Leone de Oro” pela melhor representação nacional.

Promoção da paz e resolução de conflitos

“Neste ano, celebramos 12 anos desde que atingimos a paz definitiva, e que nos dedicamos à dura tarefa de reconstruir nosso país depois de uma longa e atroz guerra civil”, disse o Embaixador.

O Embaixador Almeida explicou que “a condição de paz e estabilidade que Angola experimentou na última década permitiu dar passos significativos no campo económico", credenciando o país a ter um dos maiores crescimentos econômicos no continente africano.

O Embaixador angolano assinalou o papel do país em promover uma cultura de paz e salvaguardar valores democráticos como requisitos fundamentais para a prosperidade das nações. Por sua própria experiência em encontrar soluções para problemas internos e pela bem-sucedida administração da reconciliação nacional, Angola é um dos países que pode realmente fazer a diferença na resolução de conflitos e na promoção da paz”, afirmou.

O Embaixador igualmente enfatizou a importância do desenvolvimento e da integração da agricultura familiar na economia nacional como prioridade para o governo angolano, em seus esforços para erradicar a fome e a pobreza.

Ele reiterou o apelo do país à FAO por cooperação técnica na implementação de uma oficina sobre agricultura familiar e sua contribuição à segurança alimentar sustentável.

Asseverou, ainda, que a celebração do Ano Internacional da Agricultura Familiar em 2014 coincide com o Ano da Segurança Alimentar e Agricultura na África, adotada pela Cimeira da União Africana em janeiro último.