FAO.org

Главная страница > О нас > Кто мы > Генеральный директор > Выступления > detail
Выступление Генерального директора ФАО Жозе Грациану да Силва
 Необходимо сверять с фактическим выступлением

 23 de julho de 2014 


Abertura da cimeira de chefes
de estado e governo da comunidade de países de língua portuguesa

 

Suas Excelências Chefes de Estado e de Governo,

Senhor Secretário-Executivo da Comunidade de Países de Língua Portuguesa,

Senhor Presidente da Assembléia Parlamentar da CPLP, em nome de quem cumprimento todos os parlamentares presentes;

Senhoras e Senhores,

É uma honra voltar a este fórum depois de dois anos, quando tive a oportunidade de participar da Cimeira de Maputo.

Desde então a segurança alimentar e nutricional tem sido uma questão prioritária na Comunidade. A FAO tem dado firme seguimento aos compromissos assumidos naquela ocasião, com o apoio da Secretaria-Executiva da CPLP, em Lisboa. Venho, pois, prestar contas do trabalho realizado.

Em âmbito regional, firmamos um acordo de cooperação para coordenar governos e atores não-estatais na execução da Estratégia Regional de Segurança Alimentar e Nutricional, aprovada em 2012. 

Também produzimos um diagnóstico detalhado do estado da segurança alimentar na CPLP, com foco no atual panorama da agricultura familiar.

 Endossamos, ainda, a realização do Programa “Juntos contra a Fome na CPLP”, uma campanha que vai angariar fundos para a implementação de projetos em prol da segurança alimentar nos países do bloco.

 No âmbito nacional dos países integrantes da CPLP, temos atuado na implantação dos Conselhos de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSANs); e em projetos relativos à agricultura familiar e aquicultura, à promoção da educação alimentar e nutricional e ao aprimoramento das atuais estratégias governamentais de combate à fome.   

Para os próximos anos, é compromisso da FAO consolidar essas estratégias.

Excelências, Senhoras e Senhores,

Nesses últimos dois anos, conseguimos, dentro da FAO, estabelecer uma nova dinâmica de cooperação e transparência com os Estados Membros, e ampliamos as parcerias e a participação da sociedade civil e do setor privado.

Ao promovemos a revisão do marco estratégico da organização, definimos cinco objetivos a serem alcançados: i) a eliminação da fome, da insegurança alimentar e da desnutrição; ii) a busca por uma produção mais sustentável; iii) a redução da pobreza rural; iv) a promoção da eficiência e da produtividade de sistemas agrícolas e alimentares inclusivos; e v) a aumentar a resiliência diante dos eventos climáticos extremos e dos conflitos sociais.

Temos, ainda, desenvolvido e facilitado as estratégias de Cooperação Sul-Sul na área de segurança alimentar.

Nesse contexto, destaco a coordenação prestada pela FAO em conjunto com a União Africana na implantação do Fundo Fiduciário de Solidariedade da África, que tem mobilizado recursos africanos para ajudar outros países africanos e que já recebeu generosas doações dos Governos de Guiné Equatorial e de Angola, e de projetos brasileiros como o Mais Alimentos e o PAA-África que já foram implantados em muitos países.

Devo dizer-lhes que embora a FAO não seja um organismo de apoio financeiro, mas sim de assistência técnica, em 2013 investimos cerca de US$14 milhões em recursos próprios ou diretamente captados pela FAO em Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Em 2014, já captamos cerca de US$ 10 milhões apenas no primeiro semestre do ano. Esperamos superar o resultado de 2013 conforme explico no relatório aqui distribuído.

Chefes de Estado e de Governo,

Já ultrapassamos a metade de 2014, ano em que temos promovido, em âmbito internacional, o papel insubstituível da agricultura familiar na luta contra a fome e a pobreza.

Nesse ano de 2014 também realizaremos, juntamente com a Organização Mundial da Saúde, a Segunda Conferência Internacional sobre Nutrição, com o objetivo de consolidar o tema da alimentação saudável como questão pública e central na agenda internacional.

Aproveito para renovar o convite aos Ministros de Saúde, aos Ministros de Agricultura, bem como aos parlamentares para que  compareçam a essa conferência tão importante que se realizará na sede da FAO em Roma, de 19 a 23 de novembro de 2014.

Também agradeço, uma vez mais, o importante voto de confiança que recebi da CPLP em 2010, quando dava início a minha campanha para dirigir a FAO.

No caminho dessa construção de um mundo sem fome, o futuro que queremos, agradeço profundamente o respaldo desta Comunidade às propostas que apresentei para conduzir os trabalhos como Diretor-Geral da organização, e espero continuar a contar com esse apoio nos próximos anos. Muito obrigado pela sua atenção.