Programa de Horticultura Urbana e Periurbana da FAO
Compartilhar

As autoridades africanas precisam agir agora de modo a desviar a urbanização de seu atual rumo insustentável para cidades mais verdes...

Este relatório destaca um componente essencial do desenvolvimento urbano sustentável – a horticultura urbana e periurbana (HUP). Com base num levantamento feito em toda a África e em estudos de casos, o relatório examina a situação atual da HUP no continente. Apresenta importantes conclusões, perfis da HUP em 22 países e recomendações para o desenvolvimento de hortas comerciais para abastecer as cidades da África.

Um novo dia na África

A urbanização do continente está num ponto crítico. Que direção vai tomar?

  • Entre 1960 e 2010, a população urbana da África passou de 53 milhões para 400 milhões.
  • Até 2030, o número de africanos que vivem em cidades terá um acréscimo de 345 milhões.
  • Na África Subsaariana, a população urbana vai dobrar, atingindo quase 600 milhões.

Imagem: NASA

“Reimaginar o urbanismo africano”

No passado o crescimento econômico só exacerbou os níveis de desigualdade, fome e pobreza urbana

  • A África tem a maior população em favelas: 210 milhões.
  • 200 milhões de habitantes urbanos vivem com menos de 2 dólares por dia.
  • 180 milhões não têm saneamento adequado e 50 milhões usam água não potável.

Foto: Niko Lipsanen

Muitas cidades já são “verdes”

40% das famílias nas cidades subsaarianas são agricultoras

  • Milhões de africanos nas áreas urbanas cultivam hortaliças e frutas em hortas domésticas, para suas famílias e para venda.
  • Em Dakar, 7.500 famílias cultivam seu próprio micro-jardim.
  • No Malawi, 700.000 habitantes urbanos praticam a horticultura doméstica para satisfazer suas necessidades de alimentos e ganhar uma renda extra.

Foto: FAO/Giulio Napolitano

Cidades mais verdes e hortas comerciais

Na maior parte das áreas urbanas da África, as hortas recebem pouco reconhecimento, regulação ou apoio

  • A horticultura comercial já produz alimentos para milhões de africanos.
  • Terras adequadas para a horticultura estão sendo tomadas para construção de moradias, indústria e infraestrutura.
  • Muitos horticultores estão usando pesticidas e águas residuais de maneira excessiva.

Foto: FAO/Olivier Asselin

Hortaliças precisam de terra e água

Os administradores urbanos devem zonear terras para horticultura e tratar águas residuais para serem usadas em hortas

  • As hortas comerciais criam cinturões verdes que protegem áreas frágeis e reforçam a resiliência à mudança climática.
  • Grandes áreas podem ser zoneadas para horticultura
  • As águas residuais tratadas são seguras e podem fornecer a maioria dos nutrientes necessários para a horticultura.

Foto: FAO/Olivier Asselin

“Produzir mais com menos”

Objetivo: aumentar a quantidade e qualidade dos produtos e preservar o agroecossistema urbano

  • O cultivo ecológico pode ajudar as cidades africanas a diminuir
    os riscos de contaminação.
  • Com bastante adubo, o solo produz mais
    usando menos fertilizantes, pesticidas e água.
  • A irrigação por gotejamento e a captação
    de água da chuva também
    reduzem a demanda de água.

Foto: FAO/Olivier Asselin

Uma eficiente cadeia de abastecimento

Todas as partes interessadas precisam cooperar para otimizar o fluxo de produtos do horticultor para o consumidor

  • Incentivar os horticultores a formar suas próprias cooperativas.
  • Facilitar empréstimos para unidades agroindustriais e planejar mercados limpos e descentralizados.
  • Mercados informais economizam tempo e dinheiro das famílias pobres

Foto: FAO/Giulio Napolitano

1 2 3 4 5 6 7 8 9
cover