FAO.org

Home > Américas > Prioridades regionais
Escritório Regional da FAO para a América Latina e o Caribe

Três prioridades para livrar a América Latina e o Caribe da Fome

O Escritório Regional da FAO trabalha com três iniciativas prioritárias que respondem aos principais desafios que enfrenta a segurança alimentar na América Latina e Caribe. Essas prioridades foram estabelecidas pelos governos da região durante a última Conferência Regional da FAO. A Iniciativa 1 - América Latina e Caribe sem Fome - apoia os maiores acordos e estratégias de segurança alimentar, fortalecendo os planos regionais, sub-regionais e nacionais de erradicação da fome. A segunda foca no setor que produz a maior parte dos alimentos na região: Agricultura familiar e sistemas alimentares inclusivos para o desenvolvimento rural sustentável. A terceira tem ênfase em alguns dos maiores desafios que ameaçam a segurança alimentar regional: Uso sustentável dos recursos naturais, adaptação às mudanças climáticas e gestão de riscos de desastres.

Prioridades e Iniciativas Regionais


Por meio da Iniciativa Regional 1, a FAO está apoiando os principais acordos de segurança alimentar na região, apoiando a todos os setores da sociedade para garantir o direito à alimentação para todos e todas.


Promove o desenvolvimento produtivo e a melhoria das condições de vida daqueles que vivem da agricultura familiar e também impulsiona sua adequada representação e participação nos sistemas alimentares. Além disso, essa área contribui na definição de estratégias de desenvolvimento rural em âmbito regional e nacional.


Promove ações que apoiam a transição para o desenvolvimento sustentável do setor agrícola, da pesca e dos bosques, a partir de uma perspectiva socioeconômica e ambiental, fortalecendo a segurança alimentar e nutricional em face dos novos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.


La CELAC es un instrumento para viabilizar y fortalecer la participación de la región a través de una vocería en procesos de negociación multilaterales, de cooperación extrarregional, y de diálogo político frente a los diferentes desafíos del actual sistema económico-social y político que busca un desarrollo equitativo.