Escritório Regional da FAO para a América Latina e o Caribe

Iniciativa Regional - Agricultura Sustentável e Resiliente

Através da prioridade regional Agricultura Sustentável e Resiliente, promovem-se ações que incentivam a produção agrícola, pesqueira, pecuária e florestal, que por sua vez, consideram a integração da biodiversidade, a manutenção de serviços ecossitêmicos, a redução das emissões de carbono, a adaptação às mudanças climáticas, a gestão do risco de catástrofes e a resiliência.

Em um cenário de COVID-19, a América Latina e o Caribe enfrentam o grande desafio de transformar os seus sistemas agrícolas e agroalimentares para alcançar uma produção mais próspera, sustentável e resiliente.

Iniciativa Regional - Agricultura Sustentável e Resiliente

Uma agricultura biodiversa para o futuro

A América Latina e o Caribe, que cobre 16% da superfície terrestre do planeta e concentra 9% de sua população, contém 50% da biodiversidade mundial, 23% da cobertura florestal total, 31% da água doce e 12% da terra atualmente cultivada.

Esta riqueza natural é a base de uma produção agrícola e alimentar abundante e diversificada.

No entanto, atividades como a agricultura, a silvicultura e mudanças no uso da terra, geram 24% das emissões globais de gases de efeito de estufa da região, o que aumenta a variabilidade climática e os fenômenos meteorológicos extremos.

Ao mesmo tempo, a biodiversidade e os serviços ecossistêmicos são fundamentais para os meios de subsistência rurais. Os polinizadores, por exemplo, são essenciais para 35% da produção agrícola mundial.

Para garantir a segurança alimentar e nutricional, aumentar a competição por recursos naturais e enfrentar a crise climática, é urgente explorar as enormes oportunidades de sinergias ambientais, econômicas e sociais que podem ser derivadas dos modelos de crescimento verde e azul.

Produção e crescimento sustentáveis

A transformação da agricultura na América Latina e no Caribe poderá:

  • Manter e expandir o papel do setor agrícola como motor do desenvolvimento econômico regional baseado em uma produção mais sustentável e resistente ao clima, fazendo uso e gestão eficiente dos recursos naturais e desenvolvendo plenamente o potencial da região como fonte de alimentos verdes e azuis.
  • Preservar e restaurar o extraordinário patrimônio natural da região, para seguir contribuindo com os equilíbrios e dinâmicas ambientais globais, e preservar a base produtiva e o patrimônio natural da América Latina e do Caribe.
  • Promover a inclusão de territórios rurais, protegendo os meios de subsistência, promovendo a resiliência e a gestão do risco de catástrofes.

Temas principais

  • A produção agrícola sustentável e eficiente é viável.
  • Serviços ecossistêmicos, gestão e utilização da biodiversidade como base para a produção.
  • O setor agrícola na América Latina e no Caribe: um ator-chave na agenda ambiental e de alterações climáticas globais.
  • Financiamento para a ação climática e ambiental no setor agrícola.
  • Agricultura digital e inovação: em direção a sistemas alimentares mais produtivos, sustentáveis e resilientes.
  • Melhorar a resiliência dos agricultores e comunidades a ameaças e riscos.
  • Respostas efetivas a catástrofes, emergências e crises.
  • Crescimento azul, uma oportunidade para a segurança alimentar, crescimento econômico e desenvolvimento sustentável.
  • Uma saúde: salvaguardar a saúde humana, animal e vegetal, para reduzir doenças e ameaças, assegurando uma alimentação segura através de uma gestão responsável dos recursos naturais.
  • Agricultura sustentável e resiliente, uma oportunidade de recuperação com transformação pós-COVID-19.

Reconstruir melhor depois da COVID-19

Os efeitos combinados da propagação global da doença COVID-19, as medidas de prevenção e controle da pandemia, e a recessão global provavelmente afetarão o funcionamento dos sistemas agroalimentares, expondo as suas vulnerabilidades.

As estimativas indicam que o crescimento econômico na região pode cair entre 9,1% e 9,4% até 2020. Além disso, espera-se que a pobreza atinja os níveis mais elevados em duas décadas, afetando 230,9 milhões de pessoas (incluindo 96,2 milhões que vivem em extrema pobreza), e milhões de empregos serão perdidos.

Os efeitos da mudança climática e o esgotamento dos recursos naturais continuam a aumentar com a crise da COVID-19.

Este é o momento certo para agir no sentido de orientar a agricultura e os sistemas alimentares para um crescimento sustentável e resiliente que contribua para o bem-estar da população e permita que a América Latina e o Caribe continuem a ser relevantes na produção global de alimentos, para o crescimento, a redução da pobreza e a recuperação econômica pós-pandemia.

A transformação para uma agricultura sustentável e resiliente é necessária. Estes desafios serão o principal motor de mudança e crescimento para o setor agrícola na região nas próximas décadas.

Documents

  • African swine fever: detection and diagnosis – A manual for veterinarians
  • African swine fever in wild boar

Videos