FAO.org

Home > Country_collector > FAO no Brasil > Notícias > Detail
FAO no Brasil

Ação urgente em áreas urbanas é chave para alcançar o Fome Zero e dietas saudáveis ​​para todos

07/03/2019

 

Roma – Incorporar a comida e a alimentação nutritiva como componentes chaves do planejamento urbano é fundamental para alcançar o desenvolvimento sustentável, incluindo o Fome Zero e dietas saudáveis ​​para todos, disse o diretor-geral da FAO, José Graziano da Silva.

 

“Precisamos nos engajar com as cidades porque é nelas onde cada vez mais pessoas vivem, comem e trabalham, e onde precisamos implementar localmente compromissos globais”, disse Graziano da Silva no lançamento do Marco para a Agenda Urbana de Alimentos da FAO: Uma abordagem holística para garantir o desenvolvimento sustentável.

 

O Diretor Geral da FAO observou como as áreas urbanas também são o ambiente onde as leis e regulamentos são produzidos. "É aí que a regulação dos sistemas alimentares é definida e é por isso que a FAO está trabalhando com as cidades cada vez mais", acrescentou.

 

Pelo menos 55% da população mundial vive, atualmente, em áreas urbanas - uma proporção que deve aumentar para pelo menos 65% até 2050 - e com quase 80% de todos os alimentos produzidos globalmente consumidos em áreas urbanas. A urbanização está criando desafios sem precedentes para garantir que todos obtenham alimentos acessíveis, mantendo uma dieta saudável e preservando os recursos naturais e a biodiversidade do planeta.

 

Referindo-se a recente reunião de alto nível da ONU com prefeitos e representantes de políticas de alimentos urbanos em Nova York, o diretor-geral da FAO ressaltou que o desenvolvimento urbano não pode mais ser tratado separadamente do desenvolvimento rural. "Os dois processos devem se reforçar mutuamente", disse ele. "Em vez de considerar a urbanização e a transformação rural como processos separados, devemos aproveitar esta oportunidade para romper a divisão rural-urbana".

 

"Devemos resistir à falsa dicotomia entre a divisão urbana e rural", disse, por sua vez, o vencedor do Prêmio Mundial da Alimentação de 2018 e diretor executivo da Aliança Global pela Melhor Nutrição (GAIN), Lawrence Haddad. “O ambiente de comida urbana realmente molda o que os consumidores podem comprar e consumir. O momento realmente parece ser o de fazer um grande esforço para obter melhores dietas, melhor nutrição e melhores sistemas alimentares, o que, por sua vez, também atrairá investimentos e oportunidades de emprego ”, enfatizou.

 

“É muito importante ouvir de perto e identificar as necessidades dos cidadãos e transformá-las em projetos concretos. Também precisamos conscientizar sobre a importância de uma nova cultura alimentar e nutricional, que também reduza as desigualdades, especialmente entre as crianças ”, disse o prefeito de Tunis, Souad Abderrahim. Falando em francês, ela disse: “Você não pode simplesmente tornar-se um prefeito (maire). Um prefeito é, antes de tudo, uma ‘mãe’ (mère), o que significa estar perto de nossos concidadãos, apoiar suas preocupações e resolver seus problemas, assim como qualquer ‘mãe’ faria”.

 

“O pensamento e a formulação de políticas sobre sistemas alimentares são consistentemente reconhecidos como elementos centrais para a construção de ações climáticas inclusivas, desenvolvimento urbano, redução da pobreza e economia circular. Lidar com comida significa lidar com tudo isso ”, explicou Anna Scavuzzo, vice-prefeita de Milão, que também é responsável pelo Pacto pela Política de Alimentação de Milão, com o objetivo de promover sistemas alimentares urbanos mais sustentáveis ​​e combater o desperdício de alimentos.

 

A publicação

 

Com o objetivo de apoiar os tomadores de decisão em diferentes níveis, o framework apresenta ideias sobre como as cidades em todo o mundo podem implementar ações para gerar empregos, fortalecer as cadeias de valor de alimentos locais e reduzir e gerenciar os níveis preocupantes de desperdício de alimentos, presentes em muitas cidades.

 

O estudo também fornece orientação sobre como a FAO, com seus parceiros, pode ajudar os governos a melhorar os ambientes de políticas por meio de leis, regulamentos, governança e capacitação institucional coordenados e executar ações de acordo com realidades específicas de cada contexto, como cadeias de fornecimento mais curtas (inclusive o fornecimento público de alimentos); negócios inovadores de agro-alimentos; alimentos mais saudáveis ​​e ambientes verdes; cadeias de suprimentos otimizadas e bioeconomia sustentável.

 

A publicação também visa escalar as boas práticas através do intercâmbio de informações sobre a governança dos sistemas alimentares.

 

A FAO está apoiando cidades em todo o mundo para obter uma melhor nutrição e dietas mais saudáveis. Em particular, apoia a criação do Centro Mundial de Alimentos Sustentáveis ​​de Valência (Espanha), destinado a promover sistemas alimentares saudáveis ​​e sustentáveis ​​entre as cidades. O centro será lançado no dia 1 de abril de 2019, com a Rainha Letizia da Espanha como Embaixadora Especial da FAO para a Nutrição.