A Lagarta do Funil do Milho

A FAO desenvolveu um Programa de Ação de cinco anos em 2017 para ajudar os agricultores, suas organizações, instituições públicas, governos nacionais e parceiros de desenvolvimento a responder rapidamente aos desafios da infestação da Lagarta do Cartucho do Milho (LCM) nos campos dos pequenos agricultores. Este programa foi inspirado tomando em conta as discussões e importantes resultados de uma reunião de consulta com as partes interessadas: “Lagarta do Cartucho do Milho na África: status e estratégia para uma gestão eficaz”, realizada em Nairobi em abril de 2017.

O programa organizou todos colaboradores em uma estrutura coordenada e coerente, na qual poderiam utilizar suas vantagens comparativas de formas complementares e sinérgicas, maximizando a eficiência na a resposta sobre a LCM. A FAO trabalhou com parceiros no desenvolvimento de uma estrutura coordenada que levou em consideração todas as intervenções de resposta naquele momento, independentemente das fontes de financiamento. Desde a criação do programa, a FAO coordenou com todos os parceiros as atividades, planos e abordagens para oferecer soluções sustentáveis ​​para o manejo da LCM aos agricultores. Para maximizar os resultados e minimizar possíveis erros, a coordenação promoveu a transferência de conhecimentos, desenvolvimento de capacidades locais e a capacitação de jovens rurais no manejo da LCM.

À medida que a voraz praga migrou para outros territórios, o Programa de Ação evoluiu e foi ampliado, tornando-se a Ação Global da FAO para o Controle da Lagarta do Cartucho do Milho. A Ação Global visa mobilizar 500 milhões de dólares entre 2020 e 2022 para tomar medidas radicais, diretas e coordenadas no fortalecimento das capacidades sustentáveis ​​para o controle da praga a nível global.