FAO.org

Home > Country_collector > FAO in Mozambique > Notícias > Detail
FAO in Mozambique

FAO forma em conservação e processamento de alimentos em Gaza

Pequenos produtores aprendem a processar farinha de mandioca
13/11/2018

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) está a realizar formações em matérias de agro-processamento e conservação de tubérculos, hortícolas e frutas produzidas localmente nos distritos de Mapai, Chigubo, Chicualacuala, Guija e Mabalane, na província de Gaza, no âmbito da implementação do Projecto "Fortalecimento das Capacidades dos Produtores Agrários para Gerir o Impacto das Mudanças Climáticas", uma iniciativa que visa melhorar a segurança alimentar através da metodologia Escola na Machamba do Camponês".

Esta iniciativa, financiada pelo Global Environment Facility -GEF, tem como objectivos melhorar a conservação e o processamento de alimentos como o tomate, abóbora, couve, mandioca, batata doce de polpa alaranjada, além de algumas frutas como a banana, papaia, de forma a evitar o desperdício dos mesmos em época de excedente.

Participam destas formações 42 produtores, membros das Escolas na Machamba do Camponês e 15 Extensionistas agrários dos distritos referidos, um grupo que será capacitado em várias técnicas de processamento dos produtos localmente produzidos, com vista a garantir a disponibilidade alimentar ao longo do ano e, desta forma, melhorar a segurança alimentar e nutricional nas comunidades.

Ao longo da última campanha agrícola, o sul de Moçambique continuou sob o advento do fenómeno "El Niño", caracterizado pela escassez de chuvas, de acordo com informações do último boletim agrometeorológico do MASA 2018, que indicam que o fenómeno poderá agravar as difíceis condições de segurança alimentar e nutricional das famílias, sobretudo nas regiões semi-áridas, como os distritos do norte da Província de Gaza, ( Guijá, Mabalane, Mapai, Chicualacuala e Chigubo).

Para a FAO, o desperdício de alimentos é um entrave para "acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar, melhorar a nutrição e promover a agricultura sustentável", no contexto dos 17 objectivos da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

Dados da FAO indicam que um terço dos alimentos produzidos em todo o mundo é desperdiçado. Os custos globais do desperdício de alimentos são aproximadamente 2,6 trilhões USD por ano, incluindo 700 bilhões USD em custos ambientais e 900 bilhões USD de custos sociais. A maior parte do alimento desperdiçado é resultado de problemas de aproveitamento nas fases de pós-colheita, transporte, armazenamento, preparo e preparação para o consumo.