FAO.org

Home > Mídias > Notícias

Primeiro-Ministro de Cabo Verde apela por gestão sustentável de recursos marinhos, especialmente nos Pequenos Estados Insulares

“Num país que possui mais mar do que terra, o setor marinho é essencial para o nosso futuro”, disse Pereira.

Photo: ©FAO/Annibale Greco.
Primeiro Ministro da República de Cabo Verde (esquerda) em encontro com a Diretora-Geral Adjunta para Recursos Naturais, Maria Helena Semedo.

Roma, 2 de abril de 2014 – Em visita ontem à sede da FAO, em Roma, o Primeiro-Ministro de Cabo Verde, José Maria Pereira Neves, enfatizou ser de fundamental importância a gestão sustentável de recursos marinhos.

“Cabo Verde é um país que possui mais mar do que terra, e a boa gestão sustentável de nosso setor marinho é essencial para o nosso futuro, para o planeta, como um pilar estratégico do desenvolvimento sustentável em todos os Pequenos Estados Insulares (PEIs)”, afirmou Pereira.

A assertiva do PM cabo-verdiano alinha-se com o apelo da FAO por uma nova abordagem da gestão de recursos marinhos como ferramenta vital para a salvaguarda da segurança alimentar mundial e para a promoção do desenvolvimento sustentável -  transmitido por ocasião da Cimeira da Economia Azul em Abu Dabi, que teve lugar em janeiro último.

O PM de Cabo Verde solicitou o apoio da FAO na preparação da participação de seu país na próxima Conferência dos PEIs, a realizar-se em Apia, Samoa.

Pereira foi recebido pela Diretora-Geral Adjunta da FAO para Recursos Naturais, Maria Helena Semedo, e pelo Diretor-Geral Adjunto de Operações, Daniel Gustafson.

“Estamos muito felizes por receber Cabo Verde na FAO nesta tarde, e por discutir com eles o progresso obtido em seu novo programa governamental de agricultura, que possibilitou estreitar os laços entre o desenvolvimento rural, a redução da pobreza e o crescimento econômico”, disse Semedo.

“Acreditamos que Cabo Verde, com suas iniciativas de capacidade de desenvolvimento e seu envolvimento com a Estratégia Global para Aperfeiçoar as Estatísticas Rurais e Agrícolas, será capaz de exercer um papel chave na região por meio de programas de cooperação Sul-Sul”, acrescentou a DG Adjunta para Recursos Naturais.

O PM de Cabo Verde foi acompanhado pelo Chanceler do país, Jorge Alberto Da Silva Borges; pelo Ministro do Desenvolvimento Territorial, Habitação e Planejamento Urbano, Emanuel Antero Garcia da Veiga; pela Assessora Presidencial, Jaqueline Pires ; e pelo Representante Permanente junto à FAO, Embaixador Manuel Amante da Rosa.

Pereira ainda elogiou a reforma e o processo de descentralização levados a cabo pela FAO, e reiterou: “A FAO é uma parceira estratégica para o desenvolvimento de Cabo Verde, especialmente neste momento, em que nosso principal pilar de transformação é o agronegócio e o desenvolvimento da pesca”, disse.

“O apoio da FAO pode exercer papel fundamental na medida em que estamos desenvolvendo a gestão de nossas florestas, de nossas bacias hidrográficas e de nossa agroindústria, introduzindo novas tecnologias de produção agrícola. A FAO é nossa principal aliada no desenvolvimento de todos esses projetos, de forma a impulsionar o crescimento econômico e melhorar a qualidade de vida da nossa população”, acrescentou.  

A delegação de Cabo Verde foi informada sobre o atual Programa de Cooperação Técnica mantido com o país, que possui ênfase na formulação de políticas e assistência governamental, na pesca, no desenvolvimento de pequenas empresas agrícolas para a geração de empregos e renda, e na proteção social.

As apresentações igualmente abordaram o potencial intercâmbio de conhecimento Sul-Sul, o Crescimento Azul, e o Ano Internacional da Agricultura Familiar em 2014.

Também foi levantada a convergência entre as prioridades do governo e os objetivos estratégicos da FAO.

Como Gustafson comentou, “muitos dos problemas enfrentados por Cabo Verde por algum tempo tem aparecido em diversos outros países, à medida que a renda das famílias aumenta e há grande desgaste dos recursos naturais. Há muito se a aprender em ambos os lados da nossa colaboração”.

Rumo à Erradicação da Fome na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa

O Primeiro-Ministro Pereira foi informado de que a FAO e a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) recentemente uniram-se em prol do estabelecimento de um esforço conjunto pela Erradição da Fome nos países lusófonos, no contexto da Estratégia de Nutrição e Segurança Alimentar aprovada em 2012.

A apresentação igualmente contemplou a gestão sustentável da água, da terra e das florestas. Foram também abordadas as estratégias de agricultura nas periferias – “Comida para as Cidades” – tendo em vista a necessidade de se encarar adequadamente o desafio do crescimento de uma população urbana cada vez maior.