Impacto do terramoto do Nepal na segurança alimentar e na agricultura deverá ser muito elevado

FAO pede 8 milhões de dólares para ajudar os agricultores Nepaleses


30 de abril de 2015, Roma – São necessários com urgência cerca de 8 milhões de dólares para ajudar os agricultores do Nepal afetados pelo sismo a recuperar rapidamente os insumos agrícolas perdidos e retomar as preparações para a próxima sementeira do arroz, alertou hoje a FAO.

O impacto do recente terramoto de grande intensidade na segurança alimentar e nos meios de subsistência agrícola deverá ser muito elevado.

Os agricultores que perderem a época de plantio que está prevista iniciar-se no final de maio, não voltarão a poder colher arroz – o principal alimento do país – antes do final de 2016. Isto, juntamente com possíveis perdas de stocks de alimentos e nas colheitas de trigo e milho, poderá limitar severamente o abastecimento de alimentos e rendimentos no país do Sul Asiático, onde perto de 2/3 das pessoas dependem da agricultura para a sua subsistência, segundo a FAO.

A semana passada, um sismo de magnitude 7.8 – o maior no país nos últimos 80 anos – sacudiu o Nepal, matando milhares de pessoas e, ao mesmo tempo, dificultando o acesso a alimentos, deixando cerca de 3.5 milhões de pessoas a precisar de assistência alimentar.

Áreas agrícolas entre as mais afetadas

Cerca de 8 milhões de pessoas foram afetadas pelo desastre nas regiões Ocidental e Central do país, incluindo nas maiores cidades, Kathmandu e Pokhara.

Mas algumas das áreas agrícolas mais vulneráveis do país, em particular aldeias das regiões montanhosas, também foram das mais afetadas.

Apesar dos danos no setor agrícola não terem ainda sido avaliados, as famílias afetadas perderam provavelmente animais, cultivos, stocks de alimentos e insumos agrícolas importantes. Ao mesmo tempo, o desastre destruiu mercados e infraestruturas, incluindo estradas e canais cruciais de irrigação e drenagem. Como resultado, o comércio interno, incluindo o transporte da assistência de emergência, está severamente restringido.

Antes do sismo atingir o Nepal, a FAO estimou a produção de trigo em 1.8 milhões de toneladas em 2015 – cerca de 5% abaixo do recorde de colheita do ano anterior. Mas os danos nos cultivos e a incapacidade dos agricultores para produzirem em áreas afetadas pelo sismo podem alterar esta previsão. Além disso, a interrupção das operações de plantio do arroz e do milho podem levar a uma redução severa da área de produção destas culturas nas zonas mais afetadas.

Janela de oportunidade

Para além de distribuir materiais para a produção agrícola e assim assegurar que haja colheitas este ano, a FAO e os seus parceiros estão a apoiar o governo do Nepal para prevenir mais perdas na produção animal, fornecendo rações e material veterinário que garantam que os animais se mantém sãos e produtivos para as famílias que deles dependem para obter alimentos e rendimentos.

No total, a FAO irá ajudar 20 000 famílias de agricultores vulneráveis a proteger e a reconstruir os seus meios de subsistência. Intervenções agrícolas oportunas são essenciais para aumentar a resiliência destas famílias afetadas e reduzir consideravelmente o tempo e os custos da recuperação.

“Temos uma janela de oportunidade única para ajudar os produtores agrícolas a plantar a tempo para terem colheita de arroz este ano e recuperarem a sua autossuficiência”, disse Somsak Pipoppinyo, Representante da FAO no Nepal. “Ao mesmo tempo – adiantou – temos de fazer todos os possíveis para preservar os ativos de gado vitais que proporcionam às famílias afetadas rendimentos e nutrição essenciais”.

As agências das Nações Unidas e os seus parceiros lançaram ontem um apelo de emergência para obterem 415 milhões de dólares para o Nepal para dar resposta às necessidades mais urgentes. A petição de 8 milhões de dólares feita pela FAO é parte de um pedido mais amplo de 128 milhões pelo Grupo de Segurança Alimentar, dirigido pela FAO e pelo Programa Mundial de Alimentos (PAM). Para além da ajuda agrícola de emergência, este Grupo tem como objetivo distribuir 50 000 toneladas de alimentos pelas famílias necessitadas, além de estabelecer programas de transferência de dinheiro e ajudar as comunidades a reconstruir as suas vidas.

Photo: @AFP/Sajjad Hussain
Milhões de pessoas foram afetadas pelo desastre, muitas nas aldeias das zonas agrícolas mais vulneráveis do Nepal.