FAO.org

Home > FAO in Portugal > Notícias > Detail
FAO in Portugal

FAO e Turismo de Portugal iniciam um período de cooperação

22/11/2018

Lisboa - No dia 20 de novembro de 2018, na Escola Superior de Hotelaria e Turismo de Lisboa, o Escritório de Informação da FAO em Portugal e junto da CPLP e o Turismo de Portugal sinalizaram o início de um período de cooperação com o intuito de desenvolver ações e atividades que visam a valorização turística do património agrícola e alimentar tradicional português.

 Na sessão de abertura, a Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, destacou a importância da gastronomia portuguesa, cada vez mais reconhecida internacionalmente, e que constitui, segundo ela “um reflexo da história e da cultura de Portugal ao longo dos séculos”.

 Ainda durante a abertura, o Secretário de Estado do Desenvolvimento Rural e Florestas, Miguel Freitas, agradeceu à FAO a disponibilidade em coordenar atividades junto de diversas Escolas de Turismo e Hotelaria de Portugal, realçando que “valorizar nossos sistemas alimentares significa valorizar as nossas paisagens alimentares”. Ao salientar que o Turismo é uma atividade que vive do território e dos seus diferenciais, o Secretário destacou o sistema agro-silvo-pastoril de Barroso, a primeira região portuguesa reconhecida pela FAO como “Sistema Importante do Património Agrícola Mundial” (SIPAM):

 - O Barroso não é exportável. Tem algo de extraordinário que só ali existe, afirmou.

 O Chefe do Escritório de Informação da FAO em Portugal e junto da CPLP, Francisco Sarmento, corroborou as visões anteriores ao afirmar que “paisagens alimentares contam uma história, e que patrimonializar sistemas fortalece a história destes territórios”.

 Francisco Sarmento identificou algumas das potencialidades que o país possui para fazer frente às externalidades do atual sistema alimentar e apelou para a importância de “ligar a oferta com a procura”, de envolver agricultores familiares e chefs de cozinha na transição para sistemas alimentares mais equitativos e sustentáveis: “os agricultores precisam entrar no setor do Turismo”, defendeu.

 Em seguida, Mariana Dias Simpson, consultora em Políticas Públicas da FAO, apresentou as três principais ações a serem desenvolvidas no âmbito do Plano de Trabalho entre a FAO e Turismo de Portugal para o período 2018-2019: i) a realização de oficinas para a sensibilização, mobilização e construção de capacidades nas Escolas de Turismo e Hotelaria do Turismo de Portugal; ii) a realização de um concurso nacional para a seleção de três pré-propostas para patrimonialização de sistemas agrícolas e alimentares tradicionais, com prémio de até 5 mil euros; e iii) a consolidação da rede colaborativa Foodzcapes para a divulgação, partilha de conhecimento e ligação entre a oferta e a procura de serviços e produtos turísticos associados com este património.

 No evento, participou também do evento uma delegação chinesa de Diebu Zhagana, na província de Gansu, uma das quinze regiões que integram os Sistemas Importantes dos Património Agrícola Mundial (SIPAM) na China. Coube ao Professor da Academia Chinesa de Ciências, Liu Moucheng, explanar a particularidade dos SIPAM da China.