FAO.org

Home > FAO in Portugal > Notícias > Detail
FAO in Portugal

FAO e Portugal aprofundam a colaboração para fortalecer o apoio à CPLP

05/12/2018

Roma No passado dia 4 de dezembro, o Diretor-Geral da FAO, José Graziano da Silva, e o Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural de Portugal, Luís Capoulas Santos, assinaram um acordo visando impulsionar a implementação da Estratégia de Segurança Alimentar e Nutricional da CPLP.

Com o novo acordo, a FAO modifica o estatuto do seu escritório de informação e comunicação em Portugal e junto da CPLP para um escritório de parceria e contato, com o objetivo de promover e criar relacionamentos mais fortes entre a organização, Portugal e os principais países parceiros da CPLP. A FAO fornecerá capacitação para os técnicos da área de segurança alimentar e nutricional dos países de língua portuguesa, apoiará a melhoria da governança e impulsionará o desenvolvimento de políticas públicas de agricultura familiar, nutrição e dietas sustentáveis, com foco nos grupos mais vulneráveis.

“Portugal está empenhado em aprofundar a sua colaboração com a FAO, fortalecendo as capacidades do futuro escritório e convidando outros Estados Membros da FAO e das agências das Nações Unidas com sede em Roma a unirem-se a esse esforço”, disse o Ministro Capoulas.

A FAO tem trabalhado com a CPLP em inúmeros projetos e programas desde 1999. Entre outros, os recursos utilizados pela FAO nos países da CPLP têm sido importantes para providenciar crédito e outros recursos a milhares de agricultores familiares em Moçambique; para combater os efeitos da seca em Cabo Verde; para aumentar a resiliência das comunidades que dependem da pesca em São Tomé e Príncipe; para impulsionar a produção de arroz na Guiné-Bissau; e também para promover a governança multi-setorial e multi-atores na região através do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional da CPLP (CONSAN-CPLP).

“Tal como em muitos outros países da CPLP, o bem-estar dos agricultores familiares é fundamental para a coesão social, o desenvolvimento rural, a luta contra a desertificação, a conservação da paisagem e a preservação dos ecossistemas”, defendeu o Diretor-Geral da FAO. Ele incentivou ainda os países da CPLP a manterem a luta contra a fome e a má nutrição nas agendas políticas nacionais e a redobrar os seus esforços na promoção de uma maior adaptação dos setores agrícolas ao impacto das alterações climáticas, que afetam particularmente os agricultores familiares.

A comunidade dos países de língua portuguesa é composta por Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Guiné Equatorial e Timor-Leste, com uma população combinada de mais de 275 milhões de pessoas.