Escritório Regional da FAO para a América Latina e o Caribe

Cento e vinte técnicos e extensionistas de territórios algodoeiros em seis países começam capacitação em hortas familiares

O curso, promovido pelo projeto +Algodão, visa fortalecer os conhecimentos do cultivo de alimentos associado ao algodão para a segurança alimentar das famílias agricultoras.

Foto: Empaer-PB

Santiago do Chile, 30 de agosto de 2021 - Diversificar a produção de algodão com culturas alimentares por meio de hortas familiares devido a sua importância para a segurança alimentar da agricultura familiar. É o que propõe o curso “Mais Algodão, Mais Alimentos: Promoção de Hortas Familiares”, que capacitará 120 técnicos, extensionistas nacionais, municipais e promotores rurais de instituições e organizações de cada um dos países parceiros do projeto +Algodão.

O projeto +Algodão é uma iniciativa de cooperação sul-sul trilateral executada em conjunto pelo Governo do Brasil, representado pela Agência Brasileira de Cooperação (ABC/MRE), a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e sete países parceiros: Argentina, Bolívia, Colômbia, Equador, Haiti, Paraguai e Peru.

Este curso tem o apoio técnico da Empresa Paraibana de Pesquisa, Extensão Rural e Regularização Fundiária (Empaer-PB), instituição brasileira colaboradora no projeto e responsável pelo desenvolvimento dos conteúdos que serão abordados.

Nivaldo Magalhães, Presidente da Associação Brasileira de Assistência Técnica e Extensão Rural (ASBRAER), destacou que a Associação vê com muito entusiasmo a realização do curso ministrado pela Empaer-PB, instituição parceira da Asbraer, pois terá como base o projeto +Algodão. “Será uma ótima alternativa para apresentar o sistema de produção de hortaliças, visando a segurança alimentar e a qualidade de vida dos agricultores familiares. Essa formação é muito importante para os técnicos e demais atores que atuam diretamente na assistência e orientação à população rural”, afirmou.

Para Cecilia Malaguti do Prado, Coordenadora da Cooperação Sul-Sul Trilateral com Organismos Internacionais da ABC/MRE, este curso é um valioso resultado do componente regional do projeto +Algodão e destaca os esforços da cooperação técnica brasileira para compartilhar experiências do Brasil com outros países da região. “O curso vai reforçar o papel de uma importante instituição brasileira no desenvolvimento de capacidades técnicas, a Empaer-PB, que, desde 2016, tem sido um parceiro indispensável do projeto +Algodão na implementação de ações no campo da Assistência Técnica e Extensão Rural ", apontou.

O papel das hortas familiares

Com duração de 80 horas, divididas em 8 semanas, o curso aprofunda elementos técnicos sobre hortas familiares agroecológicas e sua importância para a segurança alimentar rural no contexto do COVID-19. Neste sentido, integra diferentes recursos que permitem uma melhor compreensão do papel das hortas familiares nos sistemas diversificados de produção promovidos pelo projeto +Algodão.

Jefferson Morais, Diretor de Assistência Técnica e Extensão Rural da Empaer-PB destaca que os conteúdos foram elaborados em conjunto com a FAO, levando em consideração as questões fundamentais para os profissionais que participarão do curso. “Além disso, tivemos a oportunidade de colocar nossa equipe de técnicos à disposição para gravações em campo, demonstrando a assessoria que damos aos agricultores no Brasil”, afirmou. O Diretor destaca a relevância do curso para os países, cujos sistemas de produção na agricultura familiar são muito semelhantes, compostos por pequenas áreas. Para Morais, é fundamental que os agricultores diversifiquem seus sistemas para não ficarem ´reféns´ do mercado, das questões climáticas ou de pragas e doenças. “Quando o agricultor inicia a diversificação da produção, ele não só produz algodão, mas também um 'consórcio' em sua área de produção, incluindo outras culturas alimentares por meio de hortas familiares, garantindo assim a segurança alimentar e um mercado para comercializar os excedentes da produção”, explica.

O curso virtual tem como temas: introdução e conceitos básicos sobre hortas familiares; gestão de hortas familiares; manejo agroecológico de pragas e doenças; e medidas para prevenir e mitigar o COVID 19 na produção de hortas familiares.

A Coordenadora do projeto regional +Algodão, Adriana Gregolin, comenta que o curso uma grande relevância para o projeto, pois reflete o compromisso da cooperação brasileira em apoiar países que enfrentam grandes desafios gerados pela pandemia do COVID-19. “O curso é essencial para alcançar sistemas agroalimentares sustentáveis ​​nos países. Apoiar as famílias algodoeiras por meio de experiências de sucesso desenvolvidas no Brasil e em outros países produtores de algodão amplia sua capacidade de resiliência”, avalia Gregolin.

O conteúdo foi elaborado sob a supervisão técnica da Empaer-PB por meio de vídeos de boas práticas, gravados no Nordeste do Brasil, materiais técnicos e documentos. O treinamento permitirá aos participantes a interação individual e em grupo por meio de um fórum e outras ferramentas de comunicação e informação fornecidas pelo Núcleo de Capacitação em Políticas Públicas da FAO para a América Latina e o Caribe.