GUIA PRÁTICO DO PESCADOR

 

GUÍA PRÁTICO DO PESCADOR

Coordenação de J. Prado
Divisão das Indústrias da Pesca, F.A.O.

Em colaboração com P. Y. Dremière
IFREMER, Séte, França


Publicado de acordo com
A ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS
PARA A AGRICULTURA E A ALIMENTAÇÃO
e com o concurso da
Escola Portuguesa de Pesca e do
Centro Profissional FORPESCAS
por
EDITAMAR, Edições Marítimas, Lda.
R, Conde Redondo, 76, 4° Esq.
1100 LISBOA-PORTUGAL
Editamar, Edições Marítimas, Lda.
R. Conde Redondo, 76, 4° Esq.
1100 LISBOA- PORTUGAL

Editamar, Edições Marítimas, Lda.
R. Conde Redondo, 76, 4° Esq.
1100 LISBOA - PORTUGAL

ISBN – 972 – 95458 – 0 – 4

Depósito Legal N.° 21 452/88

Impresso em Portugal
AÇO (Irmãos), Lda.
R. das Fontainhas, 80
1300 Lisboa

Tradução e adaptação por A.M. Leite
DGP, Lisboa, Portugal

Fotocomposição
ESPAÇOLASER, LDA.
Travessa de Alcântara, 6 Loja 10 1300
Lisboa

Nota: as designações utilizadas na presente publicação e a apre-sentação dos dados nela constantes não implicam, da parte da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação e da Secretaria de Estado das Pescas de Portugal, qualquer tomada de posição quer quanto ao estatuto jurídico dos países, territórios, cidades ou zonas, ou das respectivas autoridades, quer quanto ao traçado das suas fronteiras ou limites.

© 1990. F.A.O.

Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida ou transmitida por qualquer forma ou qualquer processo, electrónico, mecânico ou fotográfico, incluindo fotocópia, xerocòpia ou gravação, sem autorização prévia e escrita do titular dos direitos de autor. Exceptua-se, naturalmente, a transcrição de pequenos textos ou passagens para apresentação ou crítica do livro. Esta excepção não deve, de modo nenhum, ser Interpretada como sendo extensiva à transcrição de textos em recolhas antológicas ou similares dos quais resulte prejuízo para o interesse pela obra. Os transgressores são passíveis de procedimento judicial. Os pedidos de autorização para reprodução de quaisquer excertos da obra deverão ser solicitados ao Director de Publicações da F.A.O., Via delle Terme di Caracolla, 00153 Roma, Itália.

Esta obra foi preparada no Serviço de Tecnologia da Pesca, Divisão das Indústrias da Pesca, do Departamento da Pesca da FAO.
Ao longo de vários anos, diversos especialistas e consultores em Tecnologia da Pesca trabalharam na preparação deste Guia. Temos que lhes exprimir os nossos agradecimentos pois, sem a sua contribuição, este trabalho não poderia ter sido levado a bom termo, Por outro lado, agradecemos também aos mestres de pesca especialistas da FAO que trabalham em diversos países pelo seu trabalho de revisão do manuscrito, bem como pelos seus conselhos competentes.
Dirigimos também os nossos agradecimentos aos desenhadores do Departamento de Pesca da FAO pela preparação das ilustrações.
Um agradecimento muito especial à EPP - Escola Portuguesa de Pesca e ao FORPESCAS - Centro de Formação Profissional para o Sector das Pescas, face à compreensão e interesse manisfestados, o que em muito contribuiu para a boa execução do trabalho da versão em língua portuguesa.

Índice de assuntos

Notas
índice de palavras chaves
Materials e acessoriòs
DENSIDADE Densidade dos materials
Peso na âgua, peso na ägua de uma rede armada (rede de emalhar)
RESISTÊNCIA DE ACESSÓRIOS FORJADOS Carga máxima de utilizaçâo carga de ruptura coeficiente de segurança
FIBRAS SINTÉTICAS Nomes comerciais
Caractensticas fîsicas
Identificaçào
FIOS Numeraçôes, tex, denier, metros/kg, diâmetro
Cálculo do tex
Equivalência dos sistemas de titulaçâo
Nylon (poliamida PA), multifilamento torcido e entrançado
Nylon (poliamida PA), monofilamento e multimono-filamento numeraçào japonesa
Poliéster (PES) polietileno (PE), polipropileno (PP)
CABOS De fibras vegetais
De fibras sintéticas cocha
Nos de junçào alças
Nos para fixaçòes, amarraçôes
Nos para amarraçòes, voltas
Perda de resistência à ruptura devida a nos e costuras
Cabos mistos(l)
Cabos mistos (2)
Cabos de montagem com flutuaçào ou lastrados
CABOS DE AÇO Estrutura diâmetro e utilizaçào
Galvanizados caractensticas
Manutençào
Tambores patesgas, cerra cabos
De pequeno diâmetro
MALHAS Defmiçào
Sistemas de mediçào das malhas em diferentes países
PANOS DE REDE Nos e reforços/malhas reforçadas
Definiçòes
Cortes
Tipos de cortes mais vulgares e respectivas diminuiçòes
Estimativa do peso
Superfície de fio método de cálculo
Superfície de fio de uma rede (de arrasto) exemple de cálculo
Coeficiente de montagem expressòes
Coeftciente de montagem superficie coberta
Altura real de um pano de rede
Pegamentos
Montagem
ANZÓIS Classificaçào
Principals tipos
Amostras penas colheres toneiras nós para empa tar anzós
ACESSÓRIOS LINHAS Montagem destorcedores agrafes nós para palan gres
FLUTUADORES Para rede de cerco
Para redes de emalhar e de cerco (1)
Para redes de emalhar e de cerco (2)
Esféncos bóias de arrasto
BOIAS Para smalizaçào de redes linhas e covos
LASTROS Chumbadas e argolas de lastragem
ACESSORIOS FORJADOS Correntes sapatilhos
Para junçào manilhas elos forjados elos ràpidos
Parajunçào toméis
Gatos
Calòes fecho do saco de redes de arrasto argolas de redes de cerco
Componentes para arraçais de redes de arrasto esteras
Componentes para arraçais de redes de arrasto de borracha meios melòes roletes bolachas e rodelas exemplos
ALAR CARGAS Lmgadas e talhas
Artes e operaçòes de pesca.
REDES DE CERCO COM RETENIDA Exemplo de piano téenico e armamento
Dimensòes mínimas, malhagens, diâmetro dos fios
Lastragem, flutuaçào, peso de pano.
Montagem, retenida, volume, comportamento em pesca (na água)
REDES ENVOLVEN TES-ARRASTANTES DE ALAR PARA A PRAIA Modelos, construçào, armamento
Materials,montagem
REDES DE CERCO DINAMARQUESAS Modelos e manobra
Dimensòes características das redes
Malhetas
Manobras
REDES DE ARRASTO Exemplo de piano técnico e de rede de arrasto pelo fundo de 2 faces
Exemplo de piano técnico e de rede de arrasto pelagico de 4 faces
Relaçào malhagem/força de fios para redes de arrasto pelo fundo
Relaçào malhagem/força de fios para redes de arrasto pelagico
Adaptaçào da rede à potência do arrastào
Abertura das redes de arrasto pelo fundo
Abertura das redes de arrasto pelo fundo e das redes de arrasto pelágico
Armamentos das redes de arrasto pelo fundo para uma embarcaçào
Armamentos das redes de arrasto pelo fundo e pelagico para uma embarcaçào
Armamentos para o arrasto para duas embarcaçàes (em parelha)
Estimative da profundidade de actuaçào da rede de arrasto pelágico em parelha
Redes de arrasto para camaròes, tipos e armamentos
Elementos de ligaçào entre as diferentes partes de um armamento
Flutuaçào e lastragem médias
Exemplos de arraçais
Portas de arrasto, afastamento
Portas de arrasto, ângulo de ataque, implantaçào do ponto de fixaçào do cabo real
Portas de arrasto ângulo de ataque regulaçòes
Portas de arrasto características dos principals tipos escolha, de acordo com a potência do arrastào
Portas elevatónas
Cabos reais, diâmetro, coeficiente de largada
Velocidade de arrasto
Potência do arrastào
Tracçào do arrastào
REDES DE EMALHAR Exemplo de piano técnico e armamento
Malhagem
Fio
Montagens
Tresmalhos exemplo de piano técnico
Tresmalhos malhagens, montagem
Tresmalhos flutuaçào e lastragem médias
Armamento
ARMADILHAS E COVOS Exemplo de piano técnico e armamento
Dimensòes
Construçào
Endiches forma e posiçào
Endiches dimensào
Modelos diversos
Lmhas de corrico utilizaçào
Linhas de corrico elementos do armamento
PALANGRES Exemplo de piano técnico e armamento
Elementos constitutivos
Fundeados (horizontals) armamentos diversos
Derivantes armamentos diversos
Automatizaçào das manobras
REDES DE EMALHAR COVOS PALANGRES Redes de emalhar e tresmalhos armadilhas e covos palangres smalizaç&agarve;o processo de fundear
DRAGAS Dragas
Auxiliares e equipamentos de manobra
LUZ Pesca com luz.
ECOSONDAS Características
Escolha de acordo com a utilizaç&agarve;o
GUINCHOS E ENROLADORES Generalidades
De redes de cerco
GUINCHOS Guinchos de arrasto
ENROLADORES Tambores enroladores de redes de arrasto
POWER BLOCKS Power blocks.
ALADORES Aladores de redes, exemplos
Aladores de linhas, aladores de linhas de corrico
Aladores de armadilhas
Aladores de redes, linhas e armadilhas, característi cas técnicas normais.
Exploraçào de Navios de Pesca
PROPULSÀO Consumo da máquina, velocidade do navio
PORÒES, TANQUES Gêlo, capacidade de poròes e de viveiros, àgua doce
ISCO Isco, quantidade necessária
MANOBRAS Velocidade de manobras.
CONTABILIDADE Contabilidade
LEGISLAÇÃO Legislaçào de pesca
Formulas e tebalas, equivalências e conversòes
UNIDADES Comprimento
Superficie
Volume, capacidade
Peso, massa, força
Velocidade
Pressào, potência, luz, som
Temperatura
Conversâo de kW em cv', de cv" em "kW"
FÓRMULAS Superfície
Superfície perímetro
Superfície volume
Pressào no meio mannho
Força da gravidade e impulsào
Tabela das raízes quadradas dos números de 0 a 499 Tabela das raizes quadradas dos números de 500 a 999
Anexos
ANEXOS Encomenda de materials: elementos indispensâ veis aos fornecedores
GLOSSÁRIO Glossário Portugal/Brasil.
ÍNDICE Índice de assuntas