FAO.org

Home > Country_collector > FAO in Mozambique > Notícias > Detail
FAO in Mozambique

Novo projecto da FAO em mudanças climáticas poderá beneficiar 1800 famílias

68% dos moçambicanos a viver em zonas rurais estão vulneráveis aos efeitos das mudanças climáticas
13/12/2016


A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), lançou na última semana na província de Gaza, distrito de Mabalane, o projecto "Fortalecer o Planeamento de Adaptação Integrada e Implementação na África Austral Sistemas Agrícolas de Pequenos Agricultores para apoiar a Segurança Alimentar", para fazer face aos efeitos das mudanças climáticas, com a participação de membros do governo provincial e técnicos distritais.

O projecto tem como principais objectivos melhorar as capacidades nacionais de utilização de técnicas para avaliar os riscos, as vulnerabilidades e o impacto das mudanças climáticas; melhorar as capacidades para desenvolver políticas e financiar a Agricultura Climática Inteligente (CSA); Facilitar o agrupamento e a implementação das práticas de adaptação às alterações climáticas na agricultura e na pesca, a fim de aumentar a resiliência às alterações climáticas e fortalecer as capacidades do país na réplica de boas práticas de resiliência.

Esta é uma iniciativa financiada pelo Governo de Flandres em cerca de 3.9 milhões de USD para apoiar os produtores agrícolas na implementação de estratégias que possam minimizar o impacto das mudanças climáticas que já está a ter efeitos nefastos principalmente nas zonas rurais no país.

Em Moçambique, cerca de 80% da população vive a base da agricultura e, desta percentagem, cerca de 68% vive em zonas rurais dependente dos recursos naturais e em situação de vulnerabilidade aos efeitos adversos das mudanças climáticas.

Por conta destas mudanças, o regime de chuvas tem sido cada vez mais imprevisível, o que dificulta a capacidade dos camponeses de gerir os ciclos de plantio de suas culturas agrícolas.

Nos últimos tempos, Moçambique tem sido afectado por uma situação de seca severa, o que, tem contribuído para o acréscimo do número de famílias que vivem em insegurança alimentar.

De acordo com o coordenador do projecto, Jacinto Mutambe, "o projecto Flandres pretende contribuir directamente para aumentar a capacidade de adaptação de 80 % da população selecionada em 60 comunidades (1 800 famílias rurais) através de adoção de boas práticas com um aumento aproximado de rendimento da colheita e renda de 15-20%. As intervenções a nível da comunidade com práticas de adaptação irão reforçar a resiliência de 600 ha de área de cultivo".

Com a duração de 3 anos este é um projecto que está a ser implementando ao nível de 3 países da África Austral nomeadamente, Malawi, Moçambique e Zâmbia.