FAO.org

Home > Country_collector > FAO no Brasil > Notícias > Detail
FAO no Brasil

FAO apresenta avanços no combate às perdas e ao desperdício de alimentos

Foto: Thays Puzzi/FAO Brasil
14/11/2017

Webinar, realizado pela FAO, discutiu avanços e apresentou ferramentas e informações atualizadas sobre a quantificação de perdas e desperdícios de alimentos

Brasília -  Apresentar os avanços metodológicos do Brasil e da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) na mensuração das perdas e do desperdício de alimentos (PDA). Este foi o objetivo do webinar realizado na tarde dessa segunda-feira (13), na sede da FAO, em Brasília (DF).

Além disso, o encontro contribuiu com ferramentas e informações atualizadas sobre a quantificação das perdas e do desperdício que colaboram na construção de uma linha base nacional que aporte ao indicador 12.3 dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), no marco da Agenda 2030. Na oportunidade, também foram apresentadas as experiências do México e da Costa Rica.

De acordo com Juliana Dei Svaldi Rossetto, ponto focal para o tema na FAO Brasil, em 2015, os países se comprometeram com o ODS 12.3, que prevê a redução pela metade do desperdício per capita mundial até 2030, assim como a redução das perdas ao longo das cadeias de produção e abastecimento, incluindo a pós colheita. “Esse indicador está sob custódia da FAO. Por isso, a Organização vem trabalhando em âmbito mundial e também com os países para desenvolver capacidades nacionais em mensurar e monitorar a consecução desse objetivo”, destacou Juliana.

No Brasil, a FAO apoiou, a partir de setembro de 2016, a criação do Comitê Técnico da Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional (Caisan), que contextualizou as perdas e o desperdício de alimentos no país. O objetivo desse Comitê foi desenvolver uma estratégia de ação dos governos e da sociedade civil sobre o tema, além de propor um alinhamento de ações e estabelecer diretrizes gerais para a elaboração de uma análise das perdas e do desperdício de alimentos no Brasil. Neste contexto, a FAO ainda apoiou a elaboração de um diagnóstico das perdas no país.

Kathleen Sousa Oliveira Machado, Coordenadora-Geral de Equipamentos Públicos de Segurança Alimentar e Nutricional do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), lembrou que o Comitê Técnico do Brasil conseguiu unir para o debate governo, sociedade civil e o setor produtivo. “Reunir os três setores discutindo e propondo soluções foi um grande avanço. Agora, a gente espera ter essa estratégia aprovada em novembro pela Caisan para poder divulgar à população como o estado brasileiro está atuando e pretende atuar para conseguir atingir o ODS 12”, destacou.

A coordenadora ainda disse que foi importante ouvir as experiências de outros países e como a FAO vem trabalhando o tema. “A partir disso, vamos reunir os especialistas brasileiros para começar a pensar uma proposta e apoiar o IBGE na quantificação das perdas e desperdício de alimentos no país. Primeiro temos que saber o quanto é perdido e desperdiçado para depois conseguirmos dizer se nós alcançaremos esse objetivo até 2030”, salientou.

Participam do webinar, além do MDS e da FAO Brasil, o IBGE, a Embrapa, a Save Food Brasil, a Oficina Regional da FAO para a América Latina e o Caribe, a Divisão de Estatísticas da FAO Roma, a FAO do México e da Costa Rica.

#SemDesperdício

Lançada pela FAO, pelo WWF-Brasil e pela Embrapa, em 2016, a Campanha #SemDesperdício é uma iniciativa que nasceu para ampliar a consciência dos consumidores brasileiros sobre o desperdício de alimentos e gerar um impacto positivo na mudança de hábitos de consumo alimentar. Acesse o site #SemDesperdício e saiba mais.

Mundo desperdiça mais de 1 bilhão de toneladas de alimentos

Todos os anos, cerca de 30% de tudo que é produzido no mundo é perdido ou desperdiçado. Isso representa, aproximadamente, 1,3 bilhão de toneladas de comida que vai para o lixo. As perdas ocorrem geralmente nas fases de produção, armazenamento e transporte e correspondem a 54% do total. Já o desperdício, que consiste em 46% do montante, está ligado aos hábitos dos consumidores e presente nas vendas.

Quer saber mais sobre o tema? Acesse a página da FAO sobre perdas e desperdícios.