Agricultura familiar na 33ª Conferência Regional da FAO para a América Latina e o Caribe

O tópico da agricultura familiar esteve presente durante toda a Conferência Regional da FAO para a América Latina e o Caribe, realizada em Santiago na semana passada, inclusive em um evento paralelo específico sobre agricultura familiar, realizado no dia 8 de maio.

Alguns dos principais objetivos do evento paralelo foram:

1. Apoiar o desenvolvimento de políticas agrícolas, ambientais e sociais favoráveis à agricultura familiar sustentável

2. Aumentar o conhecimento, a comunicação e a conscientização pública

3. Compreender melhor as necessidades dos agricultores familiares, seu potencial e suas limitações, e garantir apoio técnico

4. Criar sinergias para a sustentabilidade

A agricultura familiar é fundamental para a erradicação da fome e o desenvolvimento sustentável da agricultura.

Na região, os agricultores familiares produzem a maioria dos alimentos para o consumo local, quantidades que frequentemente superam as necessidades de toda a região.  Na América Latina e no Caribe, 80% de todas as propriedades rurais são de agricultura familiar; consequentemente, o alcance do desenvolvimento agrícola e do uso sustentável dos recursos naturais depende totalmente delas.  Trabalhar com os agricultores familiares que desenvolvem atividades agrícolas, silvestres, de aquicultura e criação de gado é crucial para atingir essas metas e, ao mesmo tempo, preservar a biodiversidade mundial e combater a pobreza e a insegurança alimentar.

Também é importante observar que o setor de agricultura familiar é a principal fonte de emprego na região, gerando estabilidade e novas oportunidades, especialmente para os jovens nas áreas rurais. 

Nos últimos anos, os governos na América Latina e no Caribe começaram a investir no enorme potencial da agricultura familiar. Esta conferência ofereceu aos governos a oportunidade de lançar um novo olhar sobre o setor: a agricultura familiar não deve mais ser considerada sinônimo de pobreza, mas uma grande aliada na erradicação da fome e da miséria.

A agricultura familiar na América Latina e no Caribe: iniciativas e prioridades

  • Chile –Fortalecer os vínculos entre os pequenos produtores e outros agentes da cadeia de valor agrícola para valorizar a produção, com o desenvolvimento de programas para possibilitar a recuperação de água e melhorar o acesso a este recurso essencial.
  • Nicarágua – Investir em serviços e programas para proteger este setor, que é o principal motor de crescimento econômico do país.  Dentre os investimentos estarão o desenvolvimento da infraestrutura rodoviária, acesso à tecnologia, educação e saúde, bem como a melhoria dos custos e da renda dos agricultores familiares (80% dos produtores na Nicarágua são pequenos agricultores).
  • Brasil – As políticas agrícolas do governo foram adaptadas às necessidades específicas dos agricultores familiares no Brasil. Medidas como o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e iniciativas de agroindustrialização, em que existe um forte vínculo entre o marketing social, agrícola e político, bem como um grande envolvimento da sociedade civil.  Os contratos públicos são uma das principais prioridades em pauta no Brasil. Como afirmou João Intini, Diretor da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), “queremos comprar mais produtos e produtos de mais qualidade dos agricultores familiares”.
  • Barbados – Auxiliar os agricultores familiares a terem acesso a mercados. A FAO tem trabalhado com Barbados para estabelecer um sistema de informações de mercado a fim de mensurar o que vem sendo produzido, quanto e quando será feita a colheita. Além disso, a FAO está ajudando a melhorar a segurança alimentar e vem prestando apoio técnico para estabelecer zonas de alimentos em Barbados. O país está “criando zonas de terra”, definindo determinadas áreas a serem dedicadas exclusivamente à produção de alimentos. Em Barbados, 85% dos proprietários de terra são agricultores familiares.

Leia a publicação completa da 33ª Conferência Regional da FAO para a América Latina e o Caribe (somente em espanhol) aqui:

América Latina e Caribe sem Fome, 7 de  maio de 2014

Agricultura familiar e desenvolvimento sustentável, 8 de maio de 2014

Sistemas agrícolas e alimentares inclusivos e eficientes, 9 de maio de 2014

15/05/2014