Cultivado na Suazilândia: desenvolvimento agrícola da Suazilândia

Em muitas partes do mundo, as propriedades familiares são a forma predominante de produção agrícola. A FAO vem apoiando os agricultores familiares, não somente em termos de melhoria das técnicas e da produção, mas também os ajudando a ter acesso a financiamento e mercados. Um exemplo disso pode ser visto na Suazilândia, onde a iniciativa de marketing do Programa de Desenvolvimento Agrícola da Suazilândia vem ajudando os agricultores a levar seus produtos a mercados internos e de exportação. O Programa garante isso apoiando empresas de processamento agrícola, que compram os produtos dos agricultores locais e também criam empregos em fabricação.

A Eswatini Kitchen é uma das 25 processadoras agrícolas que estão se beneficiando do fundo de investimento em marketing, que foi estabelecido com o apoio da União Europeia e o apoio técnico da FAO. O fundo de investimento em marketing é parte do Programa de Desenvolvimento Agrícola da Suazilândia, mais amplo, que está envolvido em uma ampla gama de atividades de apoio à produção.

A Eswatini Kitchen compra muitas de suas frutas e legumes de pequenos agricultores, usando-os para fazer geleias, molhos e chutneys. O negócio tem um impacto positivo para os pequenos agricultores, ajudando-os a ganhar acesso a mercados e a aumentar a renda, além de criar empregos para a população local, especialmente mulheres solteiras que têm família para sustentar.

O Programa de Desenvolvimento Agrícola da Suazilândia vem ajudando mais de 20.000 agricultores no país a sair da agricultura de subsistência para uma agricultura mais sustentável, rentável e voltada para o mercado. Em um país onde o HIV é predominante, onde muitos não conseguem atender às necessidades alimentares diárias e a maioria da população vive nas áreas rurais, o Programa tem um forte potencial, criando sistemas de apoio mútuo para os trabalhadores e agricultores locais.

Assistir ao vídeo (somente em inglês)

16/07/2014