FAO.org

Home > In Action > Programa Brasil-FAO > Projetos > Mais Algodão
Programa de Cooperação Internacional Brasil-FAO
©FAO/Max Toranzos

+Algodão

O algodão é um dos produtos agrícolas mais importantes no mundo e sua produção é significativa para a geração de emprego e renda, contribuindo para a soberania alimentar dos agricultores familiares da América Latina e do Caribe, apresentando-se como uma alternativa para a superação da pobreza rural. Estima-se que cerca de 350 milhões de pessoas em todo o mundo realizam atividades econômicas relacionadas ao algodão, uma das 20 commodities mais importantes do mercado mundial em termos de valor.

O Governo do Brasil, por meio da Agência Brasileira de Cooperação, do Ministério das Relações Exteriores (ABC / MRE), a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e sete países parceiros - Argentina, Bolívia, Equador, Colômbia, Haiti, Paraguai e Peru - uniram esforços por meio da Cooperação Sul-Sul Trilateral, para a implementação do Projeto + Algodão.

+ Produção, + agregação de valor, + renda + mercados inclusivos, + segurança alimentar e + desenvolvimento rural

A partir do Projeto + Algodão, considera-se que o algodão não é apenas parte de um sistema de produção, mas também de uma cadeia de transformação, agregação de valor, comércio e consumo.

Para fortalecer essa cultura importante, governos, extensionistas e pesquisadores, bem como membros do setor têxtil e de vestuário, têm um papel fundamental.

Desta forma, são conectadas iniciativas dos países produtores de algodão da América Latina, para buscar inovações em termos de pesquisa, maquinário, técnicas sustentáveis ​​de manejo de culturas e produção, sementes, adaptação às mudanças climáticas, entre outros, contemplando diferentes modelos de produção e segmentos de produtores. 

O projeto busca contribuir para a segurança alimentar, a erradicação da pobreza e da fome, a promoção da igualdade de gênero e autonomia das mulheres agricultoras, o trabalho decente e o crescimento econômico, a produção e consumo responsáveis, bem como alianças para alcançar as metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Objetivo: construir os elementos para garantir a sustentabilidade da produção de algodão latino-americana com uma abordagem sistêmica, com a colaboração de instituições brasileiras reconhecidas por seus conhecimentos e experiência em pesquisa e políticas públicas, assistência técnica e extensão rural, comercialização e organização da cadeia de valor.

Como uma estratégia essencial para o desenvolvimento rural, o Projeto aborda a transversalidade do enfoque de gênero, mudanças climáticas e povos indígenas.

Eixos conceituais do projeto +Algodão

Tecnologias sustentáveis: Promoção do cultivo sustentável e integrado a partir do fortalecimento das capacidades dos técnicos, instituições, produtores e produtoras. O objetivo é promover sistemas de produção rentáveis, com menor impacto ambiental e uso racional de solo, água e fertilizantes, recuperando a biodiversidade.

Alianças estratégicas: Criação de espaços de diálogo para parcerias públicas e / ou público-privadas, integrando várias instituições na construção de políticas, programas e ações em benefício da agricultura familiar e do cultivo do algodão para recuperar a competitividade do setor e o desenvolvimento sustentável dos territórios.

Inovação social: Promoção da competitividade do setor e criação de capacidades em mulheres, homens e jovens, por meio de ferramentas de informação, gestão de recursos e fortalecimento de modelos organizacionais. Tem como foco a promoção de sistemas de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) melhorados, mais inclusivos e integrais e modelos associativos entre os países parceiros.

Mercados inclusivos: Promover o desenvolvimento de mercados que contribuam para o aumento de empregos e renda de qualidade na cadeia de valor do algodão, melhorando a segurança alimentar das famílias. Trabalha-se para reposicionar o algodão de forma diferenciada e com valor agregado nos mercados local, regional e internacional, por meio de boas práticas de produção e comercialização, certificações de sustentabilidade, entre outros.

Principais ações desenvolvidas nos países parceiros

  • Dias de campo, unidades de demonstração e validação
  • Investimento em sementes
  • Geração de conhecimento
  • Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER)
  • Acesso a mercados
  • Apoio para políticas públicas

 

Participantes do projeto 

 

  • Governos nacionais e governos locais;
  • Agricultores/as;
  • Pesquisadores/as e técnicos/as de extensão;
  • Juventude rural;
  • Povos originários
  • Associações e cooperativas;
  • Universidades, escolas agrícolas e centros de pesquisa;
  • Parceiros nos países e do Brasil.

 

Instituições Cooperantes Brasileiras:

 

  • Associação Brasileira de Empresas de Assistência Técnica e Extensão Rural (ASBRAER)
  • Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (ABRAPA)
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
  • Empresa Estadual de Assistência Técnica e Extensão Rural da Paraíba (EMATER-PB)
  • Subsecretaria Nacional de Economia Solidária do Ministério do Trabalho (SENAES-MT)

Princípios orientadores da Cooperação Sul-Sul Trilateral

  • Igualdade entre os parceiros;
  • Benefício mútuo;
  • Não-interferência dos países cooperantes nos assuntos de outros Estados;
  • Voluntariedade e resposta às prioridades dos países em desenvolvimento.

Resultados esperados

As instituições públicas dos países parceiros dotadas de novas capacidades e os níveis de coordenação fortalecidos e ampliados (público e público/privado) para apoiar o desenvolvimento e organização geral da cadeia do algodão, com ênfase nos sistemas de produção de algodão das famílias produtoras, trabalhando para alcançar o impacto de "Contribuir para o desenvolvimento sustentável do setor algodoeiro nos países parceiros".